30 de novembro de 2015

Caixa do Correio # 11



1. Hamlet - William Shakespeare I 2. Dias e noites de amor e de guerra - Eduardo Galeano
                                                                                 
 ETIQUETA: DON GALEANO
"Na parede de um botequim de Madri, um cartaz avisa: “Proibido cantar”. Na parede do aeroporto do Rio de Janeiro, um aviso informa: “É proibido brincar com os carrinhos porta-bagagem”. Ou seja: Ainda existe gente que canta, ainda existe gente que brinca. " Eduado Galeano


Eduardo Galeano (1940-2015) nasceu em Montevidéu, no Uruguai. Viveu exilado na Argentina e na Catalunha, na Espanha, desde 1973. No início de 1985, com o fim da ditadura, voltou a Montevidéu.

Galeano comete, sem remorsos, a violação de fronteiras que separam os gêneros literários. Ao longo de uma obra na qual confluem narração e ensaio, poesia e crônica, seus livros recolhem as vozes da alma e da rua e oferecem uma síntese da realidade e sua memória.
Recebeu o prêmio José María Arguedas, outorgado pela Casa de las Américas de Cuba, a medalha mexicana do Bicentenário da Independência, o American Book Award da Universidade de Washington, os prêmios italianos Mare Nostrum, Pellegrino Artusi e Grinzane Cavour, o prêmio Dagerman da Suécia, a medalha de ouro do Círculo de Bellas Artes de Madri e o Vázquez Montalbán do Fútbol Club Barcelona. 

Foi eleito o primeiro Cidadão Ilustre dos países do Mercosul e foi o primeiro escritor agraciado com o prêmio Aloa, criado por editores dinamarqueses, e também o primeiro a receber o Cultural Freedom Prize, outorgado pela Lannan Foundation dos Estados Unidos. Seus livros foram traduzidos para muitas línguas.

5 livros para entender a obra do escritor Eduardo Galeano
1.    As Veias Abertas da América Latina
2.    Memória do fogo
3.    Dias e Noites de Amor e Guerra
4.    Os filhos dos dias
5.    O livro dos Abraços* ( meu preferido)

27 de novembro de 2015

La carta por Mário Benedetti


Querida Andrea: 


 No sé por qué, pero hoy me dio por extrañarte, por echar de menos tu presencia. Será tal vez porque el primer amor le deja a uno más huellas que ningún otro. Lo cierto es que estaba en la cama, junto a Patricia plácidamente dormida, y de pronto rememoré otra noche del pasado, junto a vos, plácidamente dormida, y sentí una aguda nostalgia de aquel sosiego de anteayer.

 Alguien dijo que el olvido está lleno de memoria, pero también es cierto que la memoria no se rinde. Dos por tres suenan como campanitas en el ritmo cardíaco y una escena se hace presente en la conciencia como en una pantalla de televisión. Y aquel cuerpo que las manos casi habían olvidado vuelve a surgir como un destello hasta que otra vez suenan las campanitas y el destello se apaga. ¿Te ocurre a veces algo así? ¿O será que me estoy volviendo un poco loco? Puede ser. Mientras tanto este probable loco te envía un invulnerable abrazo.

Mario Benedetti




24 de novembro de 2015

Casamento por cinco anos - por Carlos Drummond de Andrade


Da idéia de prorrogar os mandatos populares defluiu a idéia de prorrogar o casamento de Bertoldo Seixas, cujo contrato matrimonial estipulava o prazo de cinco anos de vigência.

Não partiu de Bertoldo a iniciativa, mas de sua mulher Eufórbia, que alegou ser muito exíguo o período de cinco anos para se decifrar a verdadeira sociedade conjugal.

Bertoldo respondeu que contrato é contrato, e como tal deve ser cumprido, a menos que haja motivo justo para a rescisão.

Como Eufórbia insistisse em seu ponto de vista, Bertoldo anuiu sem convicção, e prorrogou-se o casamento por prazo indeterminado, isto é, para a eternidade.

Ao fim de seis meses de prorrogação, a mulher sentiu o peso da eternidade e propôs o cancelamento da união. Bertoldo opôs-se, alegando mais uma vez que os contratos merecem ser cumpridos. Discutiram bastante, e acordaram afinal em dissolver o vínculo. Bertoldo e Eufórbia voltaram a casar-se por cinco anos improrrogáveis, mas com outra parceira e outro parceiro, respectivamente. Parece que são razoavelmente felizes.



Viver de trás para frente por Woody Allen


Brincar e brincar, nada mais me importaria.

"Na minha próxima vida, quero viver de trás para a frente. Começar morto, para despachar logo o assunto. Depois, acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa. Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia. Trabalhar 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável, até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo. E depois, estar pronto para o secundário e para o primário, antes de me tornar criança e só brincar, sem responsabilidades. Aí torno-me um bébé inocente até nascer. Por fim, passo nove meses flutuando num "spa" de luxo, com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e com um espaço maior por cada dia que passa, e depois - "Voilá!" - desapareço num orgasmo!" 

Woody Allen

20 de novembro de 2015

5 livros de Mario Benedetti que você deve ler.



1. A Trégua (Romance)
 Um dos clássicos da biblioteca  de Benedetti , este livro reflete o espírito romântico e filosófico do autor. Está escrito como se fosse o diário do protagonista, Martin Santome , e retrata a vida de um empregado prestes a se aposentar , viúvo, em Montevidéu no final dos anos 50 .

Martin começa um relacionamento com Laura , uma moça de 24 anos que vem para trabalhar na empresa em que ele é funcionário ... Depois de vários confrontos com o destino, Benedetti termina por captar suas idéias sobre Deus , solidão e destino.


2. Correio do Tempo ( Contos)
  Neste livro Benedetti recorre as  diferentes formas de encontros e despedidas: a memória nostálgica de um amor perdido , os rumores do passado, as chamadas não atendidas , a identidade dolorosamente recuperada, os espelhos que envelhecem a imagem, a iminência da morte , retorno de consciência, momentos compartilhados, etc

3. Primavera num espelho partido ( Romance) 
A história central de Primavera num espelho partido, gira em torno de Santiago, personagem condenado ao exílio interior numa prisão de seu próprio país, por ter participado da guerrilha urbana durante o período da ditadura militar no Uruguai, imposta de 1973 a 1985. Já sua mulher Graciela é obrigada a se mudar para a Argentina com Beatriz, sua filha pequena, e dom Rafael, seu sogro, para reconstruir a vida. Para o marido, detido em sua cela, é como se o tempo tivesse parado. 

4.O amor, as mulheres e a vida ( Poesia) 
Este livro reúne centenas de seus melhores poemas ao longo de décadas de vida. Um dos meus preferidos é Pies hermosos. ( Já publicado aqui ! )

5. Memórias de Paris ( Contos )
 O livro traz 4 contos de Mario Benedetti, que já foram apresentados anteriormente . O que vemos na capital francesa são cenas do exílio, em que as dúvidas e a falta de concretude regem vidas incertas, sem deixar de apontar em cada uma das situações e das personagens a beleza de um mundo que ainda espera por tempo melhor.


Há outras obras  que também me encantam como Pedro e o Capitão, A borra do café, Quem de nós, Andamios...mas penso que para começar, um bom romance, um livro de poesias e alguns contos são suficientes. 

Boa leitura !  

18 de novembro de 2015

6 de novembro de 2015

Defensa propia por Mario Benedetti



Cuando se ama en defensa propia
no importa que nos aceche el desamor
si la memoria está turbada
quedémonos un rato a la intemperie
pensando en todo en todos
en los viejos añicos del tiempo
en formas maltratadas del vacío
en el indulto a nuestros desatinos
cuando se ama en defensa propia
el corazón se nos ensancha
la tristeza se arrima / mansa y tibia
cargamos con el sentimiento
como si fuera una mochila
y poco importa que los notables
nos ignoren desde su cumbre
cuando se ama en defensa propia
el alma se convierte en un imán
y si uno tiene mucho que decir
lo dice sosegado en el insomnio
todo depende del azar / decían
las tías las abuelas las maestras
mas cuando se ama en defensa propia
el azaroso azar cambia de rumbo.