Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2017

Te libero de mí, de Mario Benedetti ( Poema )

Te libero de mí, de mis males,  de mi mal genio, de los domingos  por la tarde en donde nunca puedo más,  del odio a mis cumpleaños,  de no saber cómo hacer  para regalarte algo que no pierdas. 
Te libero de mi desengaño,  de tu karma, de mis novedades,  de la contradicción que represento.
Te libero de mis llamadas  que te saben a autocompasión,  de mis enredos, de mi cabello suelto, largo, sin peinar. 
Te libero de mi consciencia,  del desconcierto a fin de mes, <

Quadrilha, de Carlos Drummond de Andrade

João amava Teresa que amava Raimundo 
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili 
que não amava ninguém. 
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o 
convento, 
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia, 
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto 
Fernandes que não tinha entrado na história.

Literatura brasileira completa 30 anos sem um de seus maiores poetas e cronistas.





Si habito...

Mulher interessante, de Nelson Rodrigues.

Na "mulher interessante", a beleza é secundária, irrelevante e, mesmo, indesejável. A beleza interessa nos primeiros quinze dias; e morre, em seguida, num insuportável tédio visual. Era preciso que alguém fosse, de mulher em mulher, anunciando: - "Ser bonita não interessa. Seja interessante!" 
                          Nelson Rodrigues


Quien de verdad te extraña...

Ah, o dia dos pais.

Neste dia dos pais, não pretendo falar do meu velho, e sim o pai dele. Meu avô.
Poderia dizer um milhão de coisas, tudo que vivi e aprendi com ele, ou talvez, ele mesmo pudesse contá-las. Mas a vida é assim. Uns chegam, outros se vão. Fica aqui minha homenagem, na belíssima música do Sérgio Bittencourt, interpretada por Nelson Gonçalves.
*** Naquela mesa ele sentava sempre E me dizia sempre o que é viver melhor Naquela mesa ele contava histórias Que hoje na memória eu guardo e sei de cor Naquela mesa ele juntava gente E contava contente o que fez de manhã E nos seus olhos era tanto brilho Que mais que seu filho Eu fiquei seu fã
Eu não sabia que doía tanto Uma mesa num canto, uma casa e um jardim Se eu soubesse o quanto dói a vida Essa dor tão doída não doía assim Agora resta uma mesa na sala E hoje ninguém mais fala do seu bandolim
Naquela mesa tá faltando ele
E a saudade dele tá doendo em mim

O Jovem e a Estrela do Mar.

Era uma vez um escritor, que morava numa praia tranquila, junto a uma colônia de pescadores.
Todas as manhãs ele passeava à beira-mar para se inspirar e, à tarde, colocava-se a escrever.
Um dia, enquanto caminhava pela praia, viu a silhueta de alguém que parecia dançar.
Quando chegou mais perto, observou um jovem pegando as estrelas-do-mar da areia, uma a uma, jogando-as de volta ao oceano.
- Por quê você está fazendo isto? -, perguntou-lhe o escritor.
- Você não vê? -, respondeu o jovem. - A maré está baixa e o sol está brilhando. Elas vão secar ao sol e morrer se ficarem aqui na praia.
- Mas meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pelas suas areias. Você joga umas poucas de volta ao mar. Que diferença faz?A maioria vai perecer de qualquer maneira...
O jovem pegou mais uma estrela na areia, atirando-a de volta ao mar. Depois olhou para o escritor e lhe disse:
- Para essa, eu fiz a diferença!
Naquela tarde, …

Caixa do Correio # 28

1. Os Trabalhadores do Mar – Victor Hugo I 2. A Dama do Cachorrinho – A.P. Tchekhov I 3.Náusea –  Jean-Paul Sartre

                 ETIQUETA: VICTOR HUGO 
Victor-Marie Hugo (26/02/1802, Besançon, França - 22/05/1885, Paris, França) foi um novelista, poeta, dramaturgo, ensaísta, estadista e ativista pelos direitos humanos de grande atuação política. Filho de um general do Primeiro Império Francês, passou sua infância em Paris. Muito jovem, compôs numerosos poemas. Aos quinze anos recebeu um prêmio em um concurso de poesia da Academia Francesa.
A partir de 1822, integrou-se ao romantismo e em breve se transformou no porta-voz desse movimento. No prefácio de seu extenso drama histórico, Cromwell (1827), Hugo expõe uma chamada à liberação das restrições que impunham as tradições do classicismo, que se converteu no manifesto do romantismo. A censura recaiu sobre sua segunda peça teatral, Marion do Lorme (1829), porque a obra era considerada muito liberal. Hugo se ressarciu da censura em 25 de…

¿Cuánto tiempo te quedarás conmigo?

Crônicas do Cotidiano - Um domingo qualquer...

Por estes dias, precisei viajar a trabalho para o interior da Paraíba. Depois de aterrissarmos em João Pessoa, alugamos um carro e seguimos pelo semiárido paraibano por cerca de 500 km.
Chegamos no final da tarde de um domingo qualquer. O sol morria lentamente no horizonte, delineando um dia quase perfeito, contrastando com a pobreza da cidade.
No decorrer da semana, notei algo que até então fugia da minha compreensão. Sempre que passávamos pela entrada do hotel, havia um menino sentadinho na soleira da porta. Geralmente de camisetinha de escola municipal, shorts e chinelinhos surrados. As pessoas entravam, saiam, e ele ali, calado, cabecinha baixa e olhinhos entristecidos.
Certo dia, precisei voltar mais cedo para o hotel. Era quase horário do almoço. Como não daria tempo de pegar o bandejão da fabrica, decidi que era hora de me aventurar em algum restaurante da cidade. Como não sabia bem que direção tomar, perguntei ao menino se ele conhecia algum restaurante ali por perto. De maneir…

Disculpas...

De vez en cuando....

Porque hoje é sábado, minha dica de filme, El Patrón, Radiografia de un Crimen [ Netflix ]

Um crime bárbaro chocou a população de Buenos Aires (Argentina) na década de 1980. Um açougueiro, tido como um homem de personalidade pacata, esfaqueou o dono da casa de carnes em que trabalhava em plena luz do dia, sem qualquer preocupação de discrição. A ocorrência ganhou as páginas do livro El Patrón, Radiografia de un Crimen, escrito pelo criminólogo Elías Neuman, respeitado cientista forense. O diretor Sebastían Schindel escolheu, para sua película de estréia, um roteiro homônimo adaptado da obra do advogado, um questionamento sobre o outro lado de um homicídio à sangue frio. No elenco estão Joaquín Furriel, Guillermo Pfening, Mónica Lairana e Luis Ziembrowski. A coprodução entre Argentina e Venezuela conquistou 11 honrarias internacionais de cinema. O protagonista, Joaquín Furriel, é responsável por três dos troféus recebidos: melhor ator nas mostras de Guadalajara (México) e Huelva (Espanha), e no Prêmio da Academia Argentina de Artes e Ciências Cinematográficas. Hermogenes (Joa…

Deberíamos andar desnudos...

"...Me encontré con la gente, que sabe valorar
Que de turista en la capital, han sabido vagar
Y no ha encarado al fin la cruda realidad
De respirar hollín, de llorar alquitrán
Y empiezo a envejecer, sudando mi verdad
Criado pa' toser, con mucha variedad
Y adonde ira parar, cargando con mi olor
Deberíamos andar desnudos pa' sentirnos mejor."...

                                                               La Vela Puerca

Viceversa, de Mario Benedetti ( Poema )

Tengo miedo de verte 
necesidad de verte 
esperanza de verte 
desazones de verte 

tengo ganas de hallarte 
preocupación de hallarte 
certidumbre de hallarte 
pobres dudas de hallarte 

tengo urgencia de oírte 
alegría de oírte 
buena suerte de oírte 
y temores de oírte 

o sea 
resumiendo 
estoy jodido 
y radiante 
quizá más lo primero 
que lo segundo 
y también 
viceversa.

Mi Estrategia...

Mi Enfermedad...

Y si vas a salir de mi vida...

Porque hoje é sábado, minha dica de filme, O Farol das Orcas [ Netflix ]

Baseado em uma história real, o filme encanta por vários motivos. Um deles é o cenário em que a maior parte da história foi gravada. O local onde trabalha e vive o guarda florestal Beto é um lugar paradisíaco, se chama  Península Valdés.Outro, é a bela história que é contada no filme.
Beto é chamado de "o encantador de orcas", as orcas são animais predadores que no filme, dilaceram ferozmente os leões marinhos da região. Mas ele mantém um relacionamento amigável com estes animais e não consegue imaginar-se longe deles. Lola que tem um filho autista, viaja para a Patagônia, a fim de que seu filho apresente alguma emoção ao ter a possibilidade de interagir com os animais do Parque, já que a única vez que o filho sorriu, foi quando ele assistiu o documentário do National Geographic, sobre o trabalho que Beto realizava com as orcas. Também de acordo com o site Minha Vida, um programa de tratamento precoce, intensivo e apropriado melhora muito a perspectiva de crianças peque…

Y me iré, para no verme más...

y mi cabeza se me enfrenta en una noche de solo pensar.. 
y la alegría se me escapa y la agonía vuelve a dominar.. 
el corazón de algún sufrido me acompaña hasta la terminal y me iré, para no verme más... 

Te quiero...

O Exercício de Escrever :A lição de Shelby Foote

Sempre que penso a respeito do exercício de escrever — isto é, a escrita enquanto trabalho efetivo, e não simples inspiração —, lembro-me do historiador e romancista Shelby Foote, infelizmente pouco conhecido no Brasil. Um dos aspectos surpreendentes no seu trabalho é o fato de ele jamais ter usado um computador. Na verdade, escreveu os três volumes de sua épica narrativa a respeito da Guerra Civil — The Civil War: A Narrative —, mais de 1 milhão de palavras, usando uma caneta de caligrafia, uma dip pen, que o obrigava a, sistematicamente, mergulhar a pena no tinteiro e, quando chegava ao final da página, secar a tinta com o mata-borrão. Gosto de imaginar Foote escrevendo. Ele passava o dia inteiro de pijama — e demorou 20 anos para terminar The Civil War. Vinte anos. Dia após dia, sentado à escrivaninha, mergulhando a pena no tinteiro, obrigado a trocar de pena após certo volume de páginas, e novamente escrevendo. Um lento, concentrado e amoroso esforço. Vinte anos de trabalho solit…

Te Espero...

Além Alma, de Paulo Leminski ( Por Arnaldo Antunes )

"meu coração lá de longe faz sinal que quer voltar já no peito trago em bronze não tem vaga nem lugar pra que me serve um negócio que não cessa de bater mas me parece um relógio que acaba de enlouquecer pra que que eu quero quem chora se eu estou tão bem assim e o vazio que vai lá fora, cai macio dentro de mim"



Porque hoje é sábado, minha dica de filme, Nebraska [ Netflix ]

Woody Grant (Bruce Dern) é um senhor alcóolatra e teimoso, mas ingênuo e de bom coração, que acredita ter ganho US$ 1 milhão. A família faz piada do suposto cupom premiado, enviado pelo correio, mas Woody insiste em deixar Billings, no Estado norte-americano de Montana, para coletar o dinheiro em Lincoln, Nebraska.
Após fracassadas tentativas de fazê-lo desistir da ideia, o filho mais novo, David (Will Forte, famoso pelo programa "Saturday Night Live") decide acompanhá-lo na viagem, que inclui uma passagem por Hawthorne, a cidade onde os pais se conheceram e moraram durante anos.

Pela sinopse, não é difícil imaginar que a jornada representará a volta de questões do passado e uma chance de reaproximação entre pai e filho, distanciados pelo vício de Woody e por anos de falta de comunicação.
Mas "Nebraska" escapa de ser óbvio ao fazer um inteligente retrato da família norte-americana, especialmente do sul. Hawthorne funciona como um microcosmo da crise econômica do país:…

Caixa do Correio # 27

Teoria Geral do Esquecimento –  José Eduardo Agualusa  I 2. A Vida Breve – Juan Carlos Onetti  I 3. Ciranda de Pedra – Lygia Fagundes Telles

             ETIQUETA: JUAN CARLOS ONETTI
(Montevidéu, 1908 - Madrid, 1994) Romancista uruguaio, considerado não só o escritor mais importante que deu a literatura de seu país, mas um dos maiores criadores de ficção em língua espanhol do século XX.


“As unicas palavras que merecem existir, são as palavras melhores que o silêncio.”
                                                                                        Juan Carlos Onetti Segundo filho de um funcionário da alfândega descendente de emigrantes irlandeses (ONetty parece ter sido o nome original) e uma brasileira que pertencia a uma família de gaúchos latifundiários, desistiu da faculdade de direito no meio do curso, e desde muito jovem, freqüentava as redações de jornais e revistas de ambas as margens do Rio de la Plata, vivendo alternadamente em Montevidéu e Buenos Aires, cidade esta que se…