28 de janeiro de 2017

26 de janeiro de 2017

Minha coleção de livros do escritor Mario Benedetti.




( de baixo para cima ) 


01. A Trégua.  ü
02. A Borra do Café. ü
03. Gracias por el Fuego.
04. La Muerte y Otras Sorpresas.
05. Primavera num Espelho Partido. ü
06. Correio do Tempo.
07. Quem de Nós.
08. Montevideanos.
09. Histórias de Paris. ü
10. O Amor, as Mulheres e a Vida. ü
11. El Césped y Otros Relatos.
12. La Vecina Orilla.
13. Andamios.
14. Pedro y el Capitán.
15. El Cumpleaños de Juan Angel.
16. Vivir Adrede.
17. Subdesarrollo y Letras de Osadía.

Não sabe por onde começar ? ....Comece pelos ü




É muito amor pelo Maestro Mario Benedetti. 



23 de janeiro de 2017

Caixa do Correio # 22



1. Mayombe – Pepetela


ETIQUETA: PEPETELA 
Um dos maiores nomes da literatura angolana, Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, mais conhecido como Pepetela, nasceu no dia 29 de outubro de 1941 em Angola, na região litorânea de Benguela. Sua família tinha raízes fincadas entre os colonos deste país da África, porém seus pais já eram angolanos de nascimento.

Pepetela realiza seus primeiros estudos, o Primário e parte do Secundário, em sua terra natal, onde permaneceu até 1956. Logo depois partiu para Lubango, pois só aí teve a possibilidade de completar seus estudos, no Liceu Diogo Cão, seguindo posteriormente para Lisboa, com o objetivo de cursar o Instituto Superior Técnico.

Na capital portuguesa ele também integrou a Casa dos Estudantes do Império, principiando desta forma sua trajetória política e literária. Entre outras atividades, ele se torna um dos criadores do Centro de Estudos Angolanos, o qual integra enquanto representante do MPLA.

Em 1960 o futuro escritor entrou na Faculdade de Engenharia, mas logo em seguida optou por Letras, para depois de um ano decidir-se pela carreira política, ingressando, em 1963, no MPLA – Movimento Popular para a Libertação de Angola. Esta escolha subverteria completamente seu futuro, pois as experiências conquistadas no testemunho direto da história angolana inspirariam sua obra e sua própria trajetória existencial.

Durante algum tempo Pepetela é obrigado a buscar abrigo na França e na Argélia. Mas após a tão desejada libertação de Angola, o romancista retorna, em 1975, para seu país, assumindo o cargo de Vice-Ministro da Educação, sob a liderança do Presidente Agostinho Neto.

Ele acaba se licenciando em Sociologia na Universidade de Argel, o que lhe permite, após a deserção do caminho político, optar pela docência na Faculdade de Arquitetura de Luanda. A partir de então ele passa a ministrar aulas e, ao mesmo tempo, a desenvolver sua carreira literária, a qual somente ganha impulso depois da Independência.

Boa parte de sua obra só foi lançada depois de seu retorno do exílio. Entre seus livros mais importantes estão Muana puó (1978), As aventuras de Ngunga (1979), Mayombe (1980), A geração da utopia (1992), Parábola do cágado velho (1996), A gloriosa família (1997). O conteúdo deles gira especialmente em torno da história de seu país, tanto a mais distante, quanto a recente trajetória social e política.

Pepetela atinge o auge de sua carreira literária em 1997, quando conquista o Prêmio Camões, um dos mais renomados e desejados pelos escritores que professam a língua portuguesa, pela totalidade de sua produção. Antes disso, porém, já recebera o Prémio Nacional de Literatura de Angola pela obra Mayombe. Este reconhecimento o consagra como um nome significativo da literatura contemporânea do idioma português.


Guerrilheiros Mayombe ( entendendo quem é quem na história )


21 de janeiro de 2017

Porque hoje é sábado, minha dica de filme: Manchester à Beira-Mar






Lee Chandler (Casey Affleck) é o responsável por um pequeno complexo de apartamentos em um subúrbio de Boston. Ele passa os dias removendo neve, consertando vazamentos e fazendo o seu melhor para ignorar as fofocas dos inquilinos.
Quando ele recebe a notícia de que seu irmão mais velho Joe (Kyle Chandler) morreu de uma doença cardíaca congénita e que, para sua surpresa desagradável, ele foi nomeado tutor legal do filho de Joe, Patrick (Lucas Hedges), Lee retorna à sua cidade natal à beira-mar, um lugar de muitas memórias queridas, mas muitas também muito dolorosas.
Apesar da perda repentina de seu pai, e em contraste com o seu tio, Patrick é cheio de vida, que estuda muito, joga hóquei e tem uma banda. Lee agora é forçado a confrontar seu passado, revelado através de flashbacks, e as realidades de seu presente.

Direção de Kenneth Lonergan, autor dos cultuados " Conte Comigo " e " Margareth ". 


9 de janeiro de 2017

Paisito por Mario Benedetti ( Cuento )




Cuando hablo de mi patria yo prefiero decir paisito. Decir, pensar y sentir. Em La inmensidade del universo, la tierra donde nacimos es una menudencia, la expresión cifrada de lo pequeño, algo que se cuela en la geografia, y apenas hace buches con el mar.

En su poquito de presencia terrestre cabe pese a todo la sonrisa, abandonada entre los árboles y vigilada por La Vía Láctea.

Aquí se es feliz sin escándalo y desgraciado sin apuro. El paisito es un bocadillo entre dos gigantes. Nosotros, a lo sumo, somos la primaverita de lo hispano, una comarca casi adolescente. Los pájaros nos atraviesan en un soplo y se van a contar nuestra pequeñez en otros nidos. A veces nos creemos grandes porque tuvimos un Maracaná, pero ahora, de nuevo minúsculos, luchamos por salir de abajo. Pero no hay que quejarse. Parimos a Artigas y tal vez a Gardel, y no es poca cosa. Ni uno ni outro descenderán nunca a segunda división. Y como no nos atrevemos a gritar, Hurra, digamos Hurrita.