Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

Mi Estrategia...

Mi Enfermedad...

Y si vas a salir de mi vida...

Porque hoje é sábado, minha dica de filme, O Farol das Orcas [ Netflix ]

Baseado em uma história real, o filme encanta por vários motivos. Um deles é o cenário em que a maior parte da história foi gravada. O local onde trabalha e vive o guarda florestal Beto é um lugar paradisíaco, se chama  Península Valdés.Outro, é a bela história que é contada no filme.
Beto é chamado de "o encantador de orcas", as orcas são animais predadores que no filme, dilaceram ferozmente os leões marinhos da região. Mas ele mantém um relacionamento amigável com estes animais e não consegue imaginar-se longe deles. Lola que tem um filho autista, viaja para a Patagônia, a fim de que seu filho apresente alguma emoção ao ter a possibilidade de interagir com os animais do Parque, já que a única vez que o filho sorriu, foi quando ele assistiu o documentário do National Geographic, sobre o trabalho que Beto realizava com as orcas. Também de acordo com o site Minha Vida, um programa de tratamento precoce, intensivo e apropriado melhora muito a perspectiva de crianças peque…

Y me iré, para no verme más...

y mi cabeza se me enfrenta en una noche de solo pensar.. 
y la alegría se me escapa y la agonía vuelve a dominar.. 
el corazón de algún sufrido me acompaña hasta la terminal y me iré, para no verme más... 

Te quiero...

O Exercício de Escrever :A lição de Shelby Foote

Sempre que penso a respeito do exercício de escrever — isto é, a escrita enquanto trabalho efetivo, e não simples inspiração —, lembro-me do historiador e romancista Shelby Foote, infelizmente pouco conhecido no Brasil. Um dos aspectos surpreendentes no seu trabalho é o fato de ele jamais ter usado um computador. Na verdade, escreveu os três volumes de sua épica narrativa a respeito da Guerra Civil — The Civil War: A Narrative —, mais de 1 milhão de palavras, usando uma caneta de caligrafia, uma dip pen, que o obrigava a, sistematicamente, mergulhar a pena no tinteiro e, quando chegava ao final da página, secar a tinta com o mata-borrão. Gosto de imaginar Foote escrevendo. Ele passava o dia inteiro de pijama — e demorou 20 anos para terminar The Civil War. Vinte anos. Dia após dia, sentado à escrivaninha, mergulhando a pena no tinteiro, obrigado a trocar de pena após certo volume de páginas, e novamente escrevendo. Um lento, concentrado e amoroso esforço. Vinte anos de trabalho solit…

Te Espero...

Além Alma, de Paulo Leminski ( Por Arnaldo Antunes )

"meu coração lá de longe faz sinal que quer voltar já no peito trago em bronze não tem vaga nem lugar pra que me serve um negócio que não cessa de bater mas me parece um relógio que acaba de enlouquecer pra que que eu quero quem chora se eu estou tão bem assim e o vazio que vai lá fora, cai macio dentro de mim"



Porque hoje é sábado, minha dica de filme, Nebraska [ Netflix ]

Woody Grant (Bruce Dern) é um senhor alcóolatra e teimoso, mas ingênuo e de bom coração, que acredita ter ganho US$ 1 milhão. A família faz piada do suposto cupom premiado, enviado pelo correio, mas Woody insiste em deixar Billings, no Estado norte-americano de Montana, para coletar o dinheiro em Lincoln, Nebraska.
Após fracassadas tentativas de fazê-lo desistir da ideia, o filho mais novo, David (Will Forte, famoso pelo programa "Saturday Night Live") decide acompanhá-lo na viagem, que inclui uma passagem por Hawthorne, a cidade onde os pais se conheceram e moraram durante anos.

Pela sinopse, não é difícil imaginar que a jornada representará a volta de questões do passado e uma chance de reaproximação entre pai e filho, distanciados pelo vício de Woody e por anos de falta de comunicação.
Mas "Nebraska" escapa de ser óbvio ao fazer um inteligente retrato da família norte-americana, especialmente do sul. Hawthorne funciona como um microcosmo da crise econômica do país:…

Caixa do Correio # 27

Teoria Geral do Esquecimento –  José Eduardo Agualusa  I 2. A Vida Breve – Juan Carlos Onetti  I 3. Ciranda de Pedra – Lygia Fagundes Telles

             ETIQUETA: JUAN CARLOS ONETTI
(Montevidéu, 1908 - Madrid, 1994) Romancista uruguaio, considerado não só o escritor mais importante que deu a literatura de seu país, mas um dos maiores criadores de ficção em língua espanhol do século XX.


“As unicas palavras que merecem existir, são as palavras melhores que o silêncio.”
                                                                                        Juan Carlos Onetti Segundo filho de um funcionário da alfândega descendente de emigrantes irlandeses (ONetty parece ter sido o nome original) e uma brasileira que pertencia a uma família de gaúchos latifundiários, desistiu da faculdade de direito no meio do curso, e desde muito jovem, freqüentava as redações de jornais e revistas de ambas as margens do Rio de la Plata, vivendo alternadamente em Montevidéu e Buenos Aires, cidade esta que se…

Posibles, de Mario Benedetti ( Poema )

A lo peor nadie me atiende
Nadie recibe los mensajes
Nadie se alegra nadie llora
Con estos versos que se rompen
En los papeles
Y en el aire
A lo mejor alguna alguno
En un insomnio titubeante
Halla que dos o tres palabras
Le entregan algo de alguien
Desde estos versos que se rompen
En los papeles y en el aire
A lo mejor
Quién sabe.

Porque hoje é sábado, minha dica de filme, A heavy Heart [ Netflix ]

Cheio de tatuagens e com uma figura imponente, Hebert (Peter Kurth) é um ex-campeão de boxe alemão. Sua força é a sua maior arma de persuação, mas, hoje em dia, seu trabalho é reduzida à segurança e cobrador de dívidas, tendo como única satisfação o tempo que treina com Eddy (Edin Hasanovic), seu protegido no boxe. Diagnosticado com uma doença fatal, Hebert tenta se reconectar com Sandra (Lena Lauzemis), a filha que ele abandonou anos atrás e sua neta .Uma história comovente, com uma interpretação do ator Peter Kurth, dígina de Oscar.