Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2017

Entender ( ou não ) , por Clarice Lispector.

" Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo." Clarice Lispecto

O gênio Gustavo Gustavo Kuerten - 20 anos de seu primeiro título em Roland Garros - Paris

Há duas décadas, Gustavo Kuerten saía do anonimato para conquistar Roland Garros e o coração do mundo inteiro. A epopeia do brasileiro em 1997, até hoje a maior zebra da história do Grand Slam, não passará batida. Para lembrar o feito do menino de Florianópolis, que na época tinha 20 anos, a Federação Francesa de Tênis (FFT) lançou uma mini-documentário de 19 minutos. Nele, mostra bastidores da conquista jogo a jogo, entrevistas com Gustavo Kuerten, a mãe Alice, o irmão Rafael, além do primeiro técnico e amigos de infância.



Com o título “O Guga – The legendary victory of Gustavo Kuerten in 1997- Roland-Garros”, o material foi produzido em Florianópolis, que recebeu a visita de documentaristas francesas. A película é mesclada por imagens do acervo da família, jogos e bastidores da primeira experiência de Guga como campeão após bater o espanhol Sergi Bruguera na decisão. O documento tem registros importantes dos bastidores das duas semanas do Grand Slam, com passagens marcantes que levar…

Zafar...La Vela Puerca

No voy a tolerar, que ya no tengan fe
Que se bajen los brazos, que no haya lucidez.

Me voy, volando por ahí Y estoy, convencido de ir Me voy, silbando y sin rencor Y estoy, zafando del olor.

Frase de Fahrenheit 451 por Ray Bradbury

"— A escolaridade é abreviada, a disciplina relaxada, as filosofias, as histórias e as línguas são abolidas, gramática e ortografia pouco a pouco negligenciadas, e, por fim, quase totalmente ignoradas. A vida é imediata, o emprego é que conta, o prazer está por toda parte depois do trabalho. Por que aprender alguma coisa além de apertar botões, acionar interruptores, ajustar parafusos e porcas?" - Fahrenheit 451 - Ray Bradbury

Crônicas do Cotidiano - Rabisco de Papel

Já algum tempo, pensava em ter uma linha telefônica em casa. Tinha até mesmo separado um espaço na estante da sala para colocar o aparelho.
Entrei em contato com a operadora, escolhi um plano que se adequasse as minhas necessidades e solicitei a instalação. Agora só faltava comprar um aparelho. Pensei num modelo antigo, daqueles que você precisa enfiar o dedo no discador para ligar,  sabe? Se possível igual ao que meus pais tinham em casa nos anos 80. Naquela época minha única preocupação era com a minha mãe gritando do portão de casa, que o jantar estava na mesa.
Passeando pela feira de antiguidades no vão livre do Masp, encontrei um modelo muito parecido com o que tínhamos. Até na cor creme, eram iguais. O difícil foi convencer o senhor que cuidava da barraca a me vender num preço razoável. Precisei fazer umas três ofertas até conseguir por chantagem emocional que ele topasse.
Confesso que não foi fácil discar os números com meu novo aparelho. Estava há mais de vinte anos destreinado. …

Caixa do Correio # 25

1. Formas de Voltar para Casa –  Alejandro Zambra  I 2. A Balada do Café Triste – Carson McCullers

              ETIQUETA: ALEJANDRO ZAMBRA
Filho de Horacio Zambra e Rosa Infantas, nasceu em Villa Portales, mas quando Alejandro tinha cinco anos de idade, se mudaram à villa Las Terrazas, em Maipú. Zambra se matriculou no sétimo ano básicono Instituto Nacional José Miguel Carreira, onde chegaria a ser presidente da ALCIN (Academia de Letras Castelhanas) em 1993. Ingressou depois naUniversidade de Chile(licenciou-se em Literatura Hispânica). Aos 20 anos já vivia independentemente e, além de estudar, trabalhava: respondendo  a telefonemas, em bibliotecas, como carteiro, como junior.Assim recorda aquela época em que se considerava poeta: Depois de se formar em 1997, conseguiu uma bolsa emMadri.Em Espanha obteria um mestrado em filologia hispânica do (CSIC), se casaria com uma desenhadora e separaria-se em pouco tempo. Ao regressar ao Chile, foi viver no bairro Bellavista num apartamento de doze…

Crônicas do Cotidiano - Eu, Kid Vinil e o Elevador

( Este post foi publicado inicialmente em fevereiro de 2016)

Estava voltando da faculdade. Era mais uma noite chuvosa em São Paulo, quando o Kid Vinil entrou no elevador. Morávamos no mesmo prédio, mas aquela era a primeira vez que nos encontrávamos. Acho que nossos horários não se cruzavam. 


Cumprimentei-o com um leve aceno de mão. Ele retribuiu com um olá. Putz ! O ícone do rock dos anos 80, estava ali, ao meu lado, pensei. Precisa falar alguma coisa, puxar conversar...sei lá. Revelei ser seu fã. De gostar de suas músicas e de ter crescido ouvindo elas. Kid Vinyl agradeceu, mostrando um sorriso contido.Por certo ouvia isso a todo tempo. Que original de minha parte. [ Como é difícil estar próximo de uma pessoa famosa, sem parecer tosco]. Como fã, precisa dizer alguma coisa única. Mas o que ? Foi aí, que eu revelei meu lado mais obscuro - cantei uma de suas músicas. Ele empalideceu, fez caretas, me olhou com espanto. Temi estar fora do tom, de  ter errado a letra.... E se eu  cantasse out…

Bienvenida por Mario Benedetti ( Poema )

Se me ocurre que vas a llegar distinta 
no exactamente más linda
ni más fuerte
ni más dócil
ni más cauta
tan solo que vas a llegar distinta
como si esta temporada de no verme
te hubiera sorprendido a vos también
quizá porque sabes
cómo te pienso y te enumero

después de todo la nostalgia existe
aunque no lloremos en los andenes fantasmales
ni sobre las almohadas de candor
ni bajo el cielo opaco

yo nostalgio
tu nostalgias
y cómo me revienta que él nostalgie

tu rostro es la vanguardia
tal vez llega primero
porque lo pinto en las paredes
con trazos invisibles y seguros

no olvides que tu rostro
me mira como pueblo
sonríe y rabia y canta
como pueblo
y eso te da una lumbre
inapagable
ahora no tengo dudas
vas a llegar distinta y con señales
con nuevas
con hondura
con franqueza

sé que voy a quererte sin preguntas
sé que vas a quererme sin respuestas.

Fin 


Zygmunt Bauman : Vivemos tempos líquidos. Nada é feito para durar.

O sociólogo polonês Zygmunt Bauman é um dos intelectuais mais respeitados da atualidade. Aos 87 anos, seus livros venderam mais de 200 mil cópias. Um resultado e tanto para um teórico. Entre eles, “Amor liquido” é talvez o livro mais popular de Bauman no Brasil. É neste livro que o autor expõe sua análise de maneira mais simples e próxima do cotidiano, analisando as relações amorosas e algumas particularidades da “modernidade líquida”. Vivemos tempos líquidos, nada é feito para durar, tampouco sólido. Os relacionamentos escorrem das nossas mãos por entre os dedos feito água. Bauman tenta mostrar nossa dificuldade de comunicação afetiva, já que todos querem relacionar-se. Entretanto, não conseguem, seja por medo ou insegurança. O autor ainda cita como exemplo um vaso de cristal, o qual à primeira queda quebra. As relações terminam tão rápido quanto começam, as pessoas pensam terminar com um problema cortando seus vínculos, mas o que fazem mesmo é criar problemas em cima de problemas. …

120 Frases Cortas de Mario Benedetti [Amor, Amistad y Vida]

Te dejo más de 100 frases cortas deMario Benedettisobre el amor, amistad, no rendirse y mucho más. Son pensamientos, reflexiones y palabras de sus mejores libros. [ Fonte: lifeder.com ]

1-Es casi ley, los amores eternos, son lo más breves. 2-La mariposa recordará por siempre que fue gusano.
3-Tus ojos son mi conjuro contra la mala jornada.
4-Lo nuestro es ese indefinido vínculo que ahora nos une.
5-Ya casi es hora de que empiece a dedicarte mi insomnio.
6-Los sentimientos son inocentes como las armas blancas. 7-Hay pocas cosas tan ensordecedoras como el silencio. 8-Después de todo, la muerte solo es un síntoma de la vida. 9-Ojalá que la espera no desgaste mis sueños. 10-Un pesimista es solo un optimista bien informado. 11-Creo que la vida es un paréntesis entre dos nadas. Soy un ateo. Creo en un dios personal, el cual es la consciencia, y eso a lo que tenemos que rendir cuentas cada día.
12-Siempre ando de mal genio. Yo qué sé. Como si me sintiera incómodo conmigo mismo. 13-La verdadera división d…