Pular para o conteúdo principal

Pé glorioso e pé doloroso por Leandro Karnal


Um pé mostra o que aprendemos a admirar: a beleza da sapatilha de cetim, a habilidade, a graça da bailarina. O outro grita o custo disto. Todo conhecimento existe a partir de algumas dores e muitos esforços. Pouca gente percebe que um ser que fala bem línguas, ou dança, ou toca instrumentos, ou cozinha bem, tem, atrás da beleza do que faz, um enorme currículo de horas dedicadas, baladas perdidas e dores. Toda arte tem renúncia. Este é o famoso "goût de l’effort" (gosto do esforço) que os franceses tanto admiram. Para eles e para muitos outros, isto deve se repassado, desde cedo, às crianças e aos alunos. Nós, brasileiros, admiramos muito a intuição e a inspiração. São boas. Louvo também a transpiração.


Comentários

  1. A questão é: Até onde vale a pena ter um pé tão doloroso?

    ResponderExcluir
  2. ATE ONDE VC QUER CHEGAR?

    ResponderExcluir

Postar um comentário